Cartórios lançam Campanha “Caravana da Proteção” em evento no Palácio dos Bandeirantes

Publicado em: 17/06/2019
Sessão de fotos relacionada: Lançamento Caravana de Proteção

Sede do Governo do Estado recebeu aproximadamente 500 pessoas para lançar a nova campanha com o objetivo de melhorar a imagem do setor extrajudicial para a população
 
No dia 14 de junho, ocorreu no Palácio dos Bandeirantes o lançamento da Caravana da Proteção, iniciativa da Associação dos Notários e Registradores do Estado de São Paulo (Anoreg/SP), do Colégio Notarial do Brasil – Seção São Paulo (CNB/SP), do Sindicato dos Notários e Registradores do Estado de São Paulo (Sinoreg/SP), do Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil – Seção São Paulo (IEPTB/SP), da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP) e da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo (Arisp), em evento que reuniu aproximadamente 500 pessoas, entre eles renomados palestrantes do meio empresarial e publicitário. O evento teve por objetivo apresentar a todos os responsáveis por delegações extrajudiciais a nova campanha de comunicação dos cartórios paulistas que, futuramente, se estenderá para todo o Brasil.
 
A presidente da Associação dos Notários e Registradores do Estado de São Paulo (Anoreg/SP), Giselle Dias Rodrigues Oliveira de Barros, realizou o pronunciamento oficial de abertura. Em suas primeiras palavras, Giselle destacou a importância do movimento em defesa da atividade extrajudicial.
 
“O desconhecimento é a palavra chave não só para os ataques que sofremos diariamente pelo poder público, imprensa e sociedade, como também para imagem negativa que nossa atividade possui. Nossos serviços garantem a segurança de todas as relações jurídicas dos cidadãos desde o seu nascimento.  Os cartórios estão ao lado da sociedade e dos três poderes, participando ativamente de todos os processos de modernização, desenvolvimento, desjudicialização e desburocratização pelos quais o Brasil passa e já passou. Mesmo assim, os serviços realizados pelos notários e registradores são colocados em cheque e isso precisa mudar. Por isto, estamos aqui unidos para mudar a nossa imagem e levar para a população a nossa verdade”, enfatizou.
 
Em seguida, o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR) e do Sindicato dos Notários e Registradores do Estado de São Paulo (Sinoreg/SP), Cláudio Marçal Freire, ressaltou que a iniciativa tem o objetivo claro de mudar uma cultura. “Hoje em dia, nenhuma marca, empresa e instituição sobrevive sem uma reputação. Se for positiva, ela gera empatia e negócios, abre portas, constrói relações e te faz ser ouvido; já se for negativa, tudo se desvirtua. O que começa aqui tem o potencial de revolucionar uma reputação e que fará uma grande diferença no trabalho desenvolvido por cada um de nós”, pontuou.
 
Palestras
A primeira palestra “Cultura, Liderança e Propósito” foi realizada pela executiva e consultora nas áreas de business, inovação e educação, por Martha Gabriel. A especialista trouxe uma exposição focada na reputação, mostrando sua importância e no que ela afeta. “A reputação determina o relacionamento e o engajamento tanto do público interno como no externo. Ela também possui o poder de blindar crises, facilitar ou prejudicar os negócios, além de ser a melhor arma para resolver problemas de imagens”, destacou. A consultora trouxe uma frase do ex-presidente dos Estados Unidos Abraham Lincoln para ressaltar a importância da reputação.  “O caráter é como uma árvore e a reputação como sua sombra. A sombra é o que nós pensamos dela; a árvore é a coisa real”, disse.
 
Martha explicou que para gerar uma boa reputação, além de ter qualidade, é preciso comunicar, sendo que “a comunicação é a base de qualquer troca de informação para que possa ter resultados”. “Sem essa divulgação, as pessoas não sabem quem somos e a importância do nosso trabalho”. Sobre a campanha da Caravana, a consultora explica que o objetivo é gerar engajamento, mostrar para todos algo que já existe, mas que passa despercebido com o volume de informação do mundo atual.
 
O segundo painel abordou o tema “Propaganda: a cultura através dos colaboradores” e ficou a cargo do ex-executivo de marcas nacionais e multinacionais, Edmour Saiani, que mostrou algumas técnicas para fidelizar os usuários e também para melhorar o dia a dia da serventia. “Você está preparado para o cliente? Porque nem sempre damos atenção para eles como deveríamos. Por isso, a pessoa responsável pelo balcão é essencial. O cliente só volta se a experiência de atendimento for de qualidade”, ressaltou.
 
Saiani, que é engenheiro mecânico formado pelo ITA e pós-graduado em Marketing pela FGV/SP, explica que toda organização/entidade só terá sucesso se tiver um grande líder. “Líder bom é aquele que cuida da equipe, é exemplo para todos; sabe contratar e demitir; ouve mais do que fala; é justo e sabe dar autonomia para aqueles funcionaram que merecem”, ressaltou.
 
“Todos que trabalham no cartório vão ser responsáveis para que esse movimento aconteça, mas primeiramente você precisa fazer o bem para as pessoas que trabalham com você, assim elas vão fazer o bem para os clientes e usuários”, pontuou Saiani.
 
Em seguida, o publicitário Luiz Lara, chairman da lewlara/TBWA e membro do Conselho Superior da Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap), apresentou a campanha “Cartórios. Quem Protege Você”.  “Hoje é um dia histórico! Este movimento que está ocorrendo é para mudar história e imagem dos cartórios. Infelizmente, a sociedade acredita que os cartórios são lentos, burocráticos e caros, mas isso ocorre por um desconhecimento que só existe porque não há uma comunicação para informar, de forma clara, os inúmeros benefícios que a atividade promove no País diariamente”, enfatizou. 
 
Lara destaca que a campanha terá o viés de “proteção”, porque a proteção dada pelos cartórios é maior que todos os “defeitos” atribuídos à instituição. “Chega de críticas indevidas e ameaças abusivas. Nós vamos construir juntos uma percepção de valor para os nossos cartórios. Vamos escrever uma nova história!”, finalizou.
 
Debate
Na sequência, o presidente da Anoreg/BR e do Sinoreg, Cláudio Marçal; a presidente da Anoreg/SP, Giselle Barros de Oliveira; o presidente da Arisp, Flaviano Galhardo; o presidente do IEPTB/SP, José Carlos Alves; o presidente do CNB/SP, Andrey Guimarães; o vice-presidente do Arpen/SP, Gustavo Renato Fiscarelli; Luiz Lara e os palestrantes Edmour Saiaini e Martha Gabriel foram convidados para participarem de um debate.
 
O mestre de cerimônia, o jornalista Sérgio Aguiar, iniciou os questionamentos perguntando para a presidente da Anoreg/SP, Giselle Barros de Oliveira, de onde surgiu o esforço e a vontade de mudança da imagem da atividade dos cartórios.
 
“Apesar dos nossos números, apesar da certeza, da convicção que eu tenho, de que nós prestamos um serviço eficiente e que agrega segurança a todas as relações jurídicas do cidadão, nós estamos constantemente sendo questionados, hostilizados pela sociedade, pela imprensa, por todos os poderes. A nossa história é boa, e vale a pena tentar mudar a imagem que a gente tem na sociedade porque o serviço que prestamos é para o cidadão e é bom – e eu acho que nós merecemos o reconhecimento”, comentou Giselle Barros de Oliveira.
 
Aguiar, então, questionou o vice-presidente da Arpen/SP, Gustavo Renato Fiscarelli, sobre ser parte do Registro Civil, já que lida com grandes emoções, com que a campanha pode contribuir.
 
“Primeiro de tudo, gostaria de falar dessa iniciativa que de fato vai mudar a nossa história, tenho certeza disso. É o ponta pé inicial de uma nova percepção que a sociedade tem dos cartórios, e está sendo brilhantemente conduzida pela Anoreg/SP. E isso aqui representa o futuro da atividade. Se nós nos segmentarmos de alguma forma seremos menos, se nós nos unirmos, seremos mais”, ressaltou Fiscarelli.
 
O presidente do CNB/SP, Andrey Guimarães Duarte, foi questionado sobre os maiores desafios de comunicação que os notários enfrentam na sociedade.
 
“Nós estamos diante de uma sociedade estressada, cansada, impaciente. Precisamos achar o ponto de como mostrar o que temos de bom, mostrar boa-fé, mostrar boa vontade, mostrar que desejamos melhorar e que precisamos melhorar – porque toda instituição precisa melhorar. Então, acho que o maior desafio é achar o tom para poder tocar as pessoas, encontrar o que vai fazer a sociedade mudar essa percepção”, declarou o notário.
 
O mestre de cerimônia falou sobre a seriedade de lidar com o patrimônio das pessoas, e passou a palavra ao presidente da Arisp, Flaviano Galhardo, para falar sobre a proteção nos Registros de Imóveis.
 
“Na nossa atividade é um ponta pé inicial para um novo caminho da história do extrajudicial no Brasil. O registro de imóveis e de propriedade, assim como o sistema notarial e registral, tem um mundo por trás que passa desapercebido, nas discussões, nos debates, que é a questão da proteção das pessoas, a proteção do patrimônio e existe algo muito maior que é o direito à propriedade privada. Quando a gente vê uma pessoa buscar a lavratura de uma escritura, buscar o registro do seu imóvel, buscar o serviço no registro civil, protesto, enfim, qualquer serviço extrajudicial, notamos o semblante da pessoa, que a partir de então, pode ficar sossegada, porque o seu documento, o seu imóvel, o seu ato de cidadania está garantido”, declarou.
 
Em seguida Aguiar, perguntou para o presidente do IEPTB/SP, José Carlos Alves, como a cultura da proteção pode agregar aos serviços dos tabeliães de protesto.
 
De acordo com José Carlos Alves, os tabelionatos de protesto recuperam cerca de R$ 2 bilhões por ano, porém esse valor é apenas nos créditos públicos dos estados, dos municípios e da União no Estado de São Paulo.
 
“Se a gente considerar todos os pagamentos que são feitos pelos sacados, vamos chegar a uma cifra de R$ 9 bilhões por ano só no Estado de São Paulo. Os emolumentos recolhidos do cartório não ficam somente para o cartório, sendo que uma boa parte dessas parcelas é destinada aos poderes públicos. Nós fazemos muito só que, lamentavelmente, divulgamos pouco. E é isso que nós pretendemos mudar com a Caravana da Proteção”, explicou.
 
Aguiar perguntou ao presidente da Anoreg/BR e do Sinoreg se a Caravana da Proteção será estendida para todo o País.
 
“Nós fizemos a primeira reunião em São Paulo sobre a campanha e já tínhamos a proposta de levar isso para todo o Brasil. Porém, o País é muito grande e temos peculiaridades. Por isso, achamos melhor, para esse início, começar só em São Paulo e levarmos essa campanha para o Brasil na medida que nós vamos ter as nossas experiências. Além disso, vai depender do desejo dos outros estados”, explanou Marçal.
 
Luiz Lara foi convidado a falar sobre a lição de casa que cada participante deve levar para o cartório.
 
“É a paixão que eu peço para que todos vocês levem para dentro dos seus cartórios dos quais vocês são titulares. Reitero: vocês são livres, vocês têm um impacto enorme não apenas dentro do cartório, mas também na comunidade, na cidade, na região, nas famílias e nas pessoas. Abracem essa crença “Cartórios que protege você”, professem essa bandeira diariamente, e realmente adotem”, incentivou.
 
O mestre da cerimônia questionou Martha Gabriel sobre quais são os primeiros passos para mudar a cultura dentro de cada cartório.
 
“A cultura começa pela liderança, depois você tem que educar as pessoas para que elas usem a cultura que você quer. Seria então os três es: educar, dar estrutura e depois estimular, que pode ser estímulo positivo ou negativo”, discorreu a especialista.
 
Para finalizar os debates, Edmour Saiaini respondeu uma pergunta do auditório de como estimular os colaboradores a acreditarem na causa e, mais do que isso, se sentir parte fundamental do sucesso desse movimento.
 
“Uma das coisas que eu acho mais importante nesse movimento é contabilizar quem passou a fazer. Se cada um de vocês pegar os seus funcionários, trocar uma ideia com eles e souber explicar o que nós queremos dizer do trabalho dele, só pessoas muito boas vão conseguir passar para o cliente o que a gente quer, e ao invés de só nós agradecermos, eles também vão agradecer”, finalizou Saiaini.
 
Game Pills e itinerância 
Com o objetivo de ajudar na construção do conhecimento necessário para a aquisição de competências e habilidades técnicas essenciais para o desempenho profissional, a agência MK5, representada pela administradora de empresas e especialista em marketing, Márcia Oller, e pela psicóloga e consultora de desenvolvimento organizacional, Pamella Kazantzis, mostrou aos presentes o material (Game Pills – “pode ser usada/lida de forma cadenciada”: gibi, e-book, áudio book, experiência imersiva gameficada – “mudar mindset e gerar engajamento”) que será usado na próxima fase da ação, que se estenderá por diversas regiões do estado.

“Antes de começar a construir qualquer coisa, nós tivemos a preocupação de ir a muitos cartórios, fizemos cliente oculto, conversamos com lideranças e colaboradores da linha de frente, para identificar a real necessidade que seria traduzida em um material que fosse permeável em todas as esferas”, explicou Márcia, advertindo que nada disso terá validade caso cada um dos presentes não utilizem isso e multipliquem em suas serventias. 

Nos próximos meses, a Caravana da Proteção percorrerá a capital e cidades no interior (São Paulo – 29/6, Santos – 13/7, São José dos Campos – 20/7, São José do Rio Preto – 27/7, Ribeirão Preto – 3/8, Marília – 10/8 e Campinas – 17/8) para o treinamento de gestores e titulares das serventias. 

Uma plataforma online – especializada em treinamentos de equipes – será a responsável por capacitar os colaboradores de unidades, cujo treinamento será acompanhado em tempo real pela equipe do projeto.

Fonte: CNB/SP
Tags relacionadas: Cartórios, Caravana